HomeTestes e Reviews de MotosComprando uma moto usada: 9 dicas para um bom negócio

Comprando uma moto usada: 9 dicas para um bom negócio

Vários motivos levam motociclistas ao mercado de motos usadas, como preços atrativos ou a possibilidade de adquirir um modelo que não está mais em produção. Além disso, o cenário econômico imposto pelo novo coronavírus tende a estimular muitas pessoas à compra de uma moto usada e, por isso, separamos algumas dicas importantes para quem pensa em trazer uma moradora (nem tão) nova para casa.

Saber qual moto comprar é o primeiro passo quando falamos em comprar uma moto usada. Pensei no seu uso, no seu estilo, as suas preferências e experiências

Saber qual moto comprar é o primeiro passo quando falamos em comprar uma moto usada. Pensei no seu uso, no seu estilo, as suas preferências e experiências

Dicas para comprar uma moto usada

Desse modo, você pode se dedicar com mais tranquilidade à curiosa experiência de comprar uma moto usada. Encontrar um modelo que lhe agrade, num preço compatível com o que possa pagar, de um vendedor que lhe passe confiança sobre a procedência dessa motocicleta e num raio menor do que milhares de quilômetros. Assim, de antemão saiba que irá precisar de uma pequena dose de paciência.

1. Pense o modelo que você deseja…

… E que se encaixe no seu uso. Se vai rodar milhares de quilômetros ao mês ou menos de 500, se vai encarar trânsito urbano todos os dias ou longas viagens, se você precisa levar junto uma mochila para a faculdade ou um alforje ao Atacama. Além disso, claro, também leve em consideração seu estilo, quais os segmentos (scooter, trail, naked, street, etc) que mais lhe atraem.

Pensados para o trânsito urbano, os scooter (aqui um PCX 2018) podem ser fantásticos para as grandes cidades, mas não costumam ser as melhores motos para viajar

Pensados para o trânsito urbano, os scooter (aqui um PCX 2018) podem ser fantásticos para as grandes cidades, mas não costumam ser as melhores motos para viajar

E que se enquadre no seu biotipo. Como dissemos lá em 2012: ‘o biotipo do motociclista é importante, porque algumas pessoas muito altas não ficam confortáveis em motos baixas e vice-versa. Uma pessoa pesada e sedentária pode ter dificuldade ao pilotar uma moto grande e alta que exige força física, por exemplo. Ou seja, defina o que deseja antes de tudo’.

2. Vasculhe o Motonline

Agora que você já sabe qual moto usada comprar, vamos iniciar o divertido trabalho de pesquisas. Você pode começar o garimpo aqui mesmo no Motonline, procurando o modelo desejado no nosso classificados – que conta com milhares de motos, em todas as regiões do Brasil.

Quem quer saber qual moto usada comprar PRECISA conhecer o Guia de Motos! Além de ficha técnica, ele possui opiniões de proprietários de motos de cada marca e modelo

Quem quer saber qual moto usada comprar PRECISA conhecer o Guia de Motos! Além de ficha técnica, ele possui opiniões de proprietários de motos de cada marca e modelo

Além disso, é importante levar em consideração a opinião de outros motociclistas sobre aquela moto, bem como sua ficha técnica (com dados relacionados a altura, peso, potência etc). Para isso, acesse o Guia de Motos, que dispõe de todas essas informações num único lugar. Também veja discussões sobre ela no Fórum!

Antes do próximo tópico, um lembrete importante: o Motonline acompanha de perto tudo o que rola no setor há mais de 20 anos! Então procure por informações (como notícias, testes ou lançamentos) aqui mesmo que sua novo moto usada já tenha saído de linha há um bom tempo. Ainda, reveja outras reportagens sobre o assunto, publicadas em 2016 e 2012.

Nosso teste entre Honda XR 250 Tornado e Yamaha XTZ 250 Lander já completou 14 anos. Então essa foto é só para lembrar que o Motonline é referência em conteúdo sobre motos desde 1999 e que há muuuitas coisas sobre motos (hoje apenas usadas) aqui!

Nosso teste entre Honda XR 250 Tornado e Yamaha XTZ 250 Lander já completou 14 anos. Então essa foto é só para lembrar que o Motonline é referência em conteúdo sobre motos desde 1999 e que há muuuitas coisas sobre motos (hoje apenas usadas) aqui!

3. Documentação

Encontrou uma moto do seu agrado? Então saiba que tudo deve começar pelos documentos. Pegue os dados do Renavam e da placa e faça uma pesquisa no Detran local. Ela apontará possíveis irregularidades, como se o veículo está financiado (alienado), com o IPVA em atraso ou com multas pendentes. Também fique atento ao número do chassi (que fica no chassi, próximo a coluna de direção), para ver se ele não está raspado, e ao lacre da placa, que não deve conter violações.

4. Peça ajuda

Tudo bem, você não precisa ser o Rick Harrison (do seriado americano Trato Feito) e saber definitivamente tudo sobre itens usados e seu estado de conservação. Então leve um mecânico de confiança junto na hora de avaliar a moto, para que ele avalie sinais vitais da motocicleta e possíveis violações à sua configuração original.

A crise econômica causada pelo coronavírus tende a afetar concessionárias em todo o país e aquecer a procura por motos usadas

A crise econômica causada pelo coronavírus tende a afetar concessionárias em todo o país e aquecer a procura por motos usadas

5. Uma queda pode não ser tão importante assim… mas outras coisas sim

Quedas de motos são normais e podem não ter tanta importância caso a motocicleta tenha passado por um bom trabalho de restauração. Porém, se este for o caso o vendedor irá deixar o assunto bem claro e não tentar escondê-lo.

Aliás, tão importante quanto qual moto usada comprar é de quem comprar. Faça perguntas, não tenha medo, tente saber mais sobre os hábitos e personalidades do proprietário de um bem que você pode estar prestes a adquirir com seu tão suado dinheirinho.

6. Olhe, olhe, olhe

Desse modo, inicie sua revisão em uma moto usada por uma olhada no estado da pintura do tanque, laterais, rabetas e para-lamas. Pontos de ferrugem não são bons sinais, pois podem representar despesas futuras. Os pneus devem estar em bom estado, com desgaste regular, porque o desgaste irregular aponta para desalinhamento na moto. Ainda, veja cuidadosamente os instrumentos do painel, que costumam ser peças caras.

Quando estiver avaliando uma moto usada faça apenas uma coisa: avalie-a. Não tenha medo de fazer perguntas, de analisar detalhes, de retirar o banco ou laterais para checar componentes elétricos etc. Lembre-se: é do seu dinheiro que estamos falando

Quando estiver avaliando uma moto usada faça apenas uma coisa: avalie-a. Não tenha medo de fazer perguntas, de analisar detalhes, de retirar o banco ou laterais para checar componentes elétricos etc. Lembre-se: é do seu dinheiro que estamos falando

Além disso, também atente para sinais visuais que correspondam à quilometragem dessa unidade. Se ela tiver mais de 100 mil quilômetros, por exemplo, obrigatoriamente deve mostrar alguns (ainda que pequenos) desgastes em itens como banco, pedaleiras, espelhos, manetes.

Porém, uma moto com 2.000 quilômetros rodados não pode ter pedaleiras gastas. Quando abaixar para ver as pedaleiras aproveite para ver se elas estão raladas, que pode ser sinal de excesso de ânimo nas curvas! Se a moto não tiver borrachas nas pedaleiras, olhe cuidadosamente a pedaleira de metal, porque ela também gasta.

7. Motor: teste no frio

O ideal é fazer a avaliação com o motor da moto frio, então tente se certificar de que ele está desligado há um bom tempo. Se não for possível, ‘enrole’ o vendedor por alguns minutos, para que consiga fazer este teste da melhor forma possível.

Fumaça saindo pelo escapamento pode ser um mau sinal. Fique esperto (a)

Fumaça saindo pelo escapamento pode ser um mau sinal. Fique esperto (a)

Mas por quê tem de estar frio? Porque quando o motor está frio as folgas se dilatam e aí o óleo começa a entrar no cilindro pelas sedes das válvulas e se queima com a gasolina. Depois de aquecido essa fumaça não aparece. Então se sair uma fumaça azul pelo escapamento ao ligar a moto, atenção! Pode significar que os anéis do cilindro foram pro espaço – o mesmo lugar aonde seu dinheiro irá em breve. Porém, não confunda esta com uma fumaça escura que algumas motos soltam na primeira ligada, porque essa (a segunda) é normal.

8. Motor: ruídos e vazamentos

Você e seu mecânico já estão na loja ou casa do vendedor? Então, lembre-se que o ruído do motor deve ser uniforme, sem barulhos estranhos. Ainda, deixe-o ligado por algum tempo e procure por possíveis vazamentos nas juntas do cilindro, no cabeçote e escapamento. Também veja como está o nível e cor do óleo – afinal um motociclista cuidadoso irá trocar o óleo antes de colocar a moto à venda.

9. Rode com ela

Este certamente é o momento mais curioso, quando você sai para dar uma pequena volta com a moto antes da compra e, num exercício de pura concentração, tenta interpretar todas as informações passadas pela motocicleta. Todas. Quase um Jeremy Clarkson das duas rodas.

Se puder, dê uma volta na moto. Com total atenção, observe como ela se comporta em curvas, retas, acelerações e frenagens, bem como sons, vibrações, trancos - Foto: Geórgia Zuliani

Se puder, dê uma volta na moto. Com total atenção, observe como ela se comporta em curvas, retas, acelerações e frenagens, bem como sons, vibrações, trancos – Foto: Geórgia Zuliani

Se puder rodar com a moto (o que infelizmente nem sempre é possível) verifique seu alinhamento geral, lembrando que ela não deve pender para nenhum dos lados quando se tira a mão do guidão. Com ela no cavalete central, gire as rodas e verifique se não há torções ou amassados.

Desse modo. no caso dos modelos com roda de liga leve é preciso examinar para detectar possíveis rachaduras na liga da roda de alumínio ou magnésio. Ainda, se a moto tiver acessórios, exija as peças originais porque você vai precisar na hora de revendê-la.

Veja mais em Motonline.com.br

Leia Também

close