HomeTestes e Reviews de MotosDiferente de Honda e BMW, Yamaha retoma produção

Diferente de Honda e BMW, Yamaha retoma produção

Assim como em todos os setores, as montadoras de motocicletas seguem tendo de encontrar formas de lidar com a nova realidade imposta pela Covid-19. Entretanto, neste momento Yamaha, Honda e BMW tomam decisões opostas quanto a continuidade do trabalho em suas fábricas, todas localizadas no Polo Industrial de Manaus.

Assim, Yamaha, Honda (foto da sua linha de montagem) e BMW tomam decisões opostas

Assim, Yamaha, Honda (foto da sua linha de montagem) e BMW tomam decisões opostas

Segundo comunicado oficial enviado à imprensa, a Yamaha retomou as atividades na planta fabril hoje, quinta-feira, 30 de abril. Na contramão, empresas como Honda e BMW seguem com as jornadas suspensas temporariamente. As duas montadoras têm retorno previsto para 18 de maio.

Fábrica da Yamaha volta ao trabalho

De acordo com a marca, foram adotadas “todas as medidas necessárias à prevenção da Covid-19 e à preservação da saúde de seus colaboradores”. Desse modo, as atividades destacadas pela companhia são:

– Máscaras higienizadas e medição de temperatura para 100 % dos funcionários, terceiros e visitantes.
– Aumento de número de rotas limitando em 50% a sua ocupação.
– Limitação da capacidade do restaurante com redução em 50% do número de pessoas no mesmo local.
– Duplicação da higienização das rotas, restaurantes, ambientes de trabalho e fábrica.
– Ampliação da distribuição de álcool em gel pela fábrica.
– Aumento de mão de obra da equipe de saúde e de limpeza.
– Mudanças nos horários operacionais visando evitar aglomerações.
– Permanência em home office das pessoas cujo atividades não estejam ligadas diretamente à produção.

Fábrica da Honda gera aproximadamente 7 mil empregos diretos

Fábrica da Honda gera aproximadamente 7 mil empregos diretos

Honda destaca cenário vivido no Amazonas

Em nota enviada à imprensa, a Honda destacou que a ação de manter a suspensão na fábrica de Manaus “prioriza a saúde e segurança das pessoas e está alinhada às iniciativas para conter a disseminação do novo coronavírus no município, que enfrenta sobrecarga no sistema de saúde”.

Além disso, a empresa também detalhou como será seu posicionamento quanto ao pagamento dos salários dos colaboradores. Desse modo, informou que a maior parte dos colaboradores terá o contrato de trabalho temporariamente suspenso por período máximo de 60 dias, conforme firmado junto ao Sindicato dos Metalúrgicos de Manaus.

Assim, os empregados, por meio de ajuda compensatória, terão assegurada de 75% a 100% das suas rendas líquida atuais, indo além da exigência prevista na Medida Provisória 936/2020. Ainda, ‘o desconto, que varia de 0% a 25%, será escalonado conforme faixas salariais, sendo maior para os níveis superiores”, informou a empresa.

Veja mais em Motonline.com.br

Leia Também

close