HomeShow RadicalEntrevista Maiara Basso recém contratada da Yamaha Racing Brasil

Entrevista Maiara Basso recém contratada da Yamaha Racing Brasil

Dessa vez nosso papo é com a atual campeã Brasileira da MXF (feminina), cheia de carisma e muita pegada dentro da pista, Maiara Basso veio em uma crescente constante nos últimos anos com inúmeros títulos nacionais no Motocross e também no Velocross outra modalidade que Maiara é especialista, a gaúcha migrou nessa temporada para o grandioso time da Yamaha Monster Energy Geração, uma das principais e mais estruturadas equipes de motociclismo off road do Brasil. Maiara é a representante feminina da marca azul e para 2020 tem a missão de defender seu título nacional na MXF numa temporada que promete ser muito acirrada! Conversamos com a piloto que nos conta com exclusividade a sua nova fase no esporte!

SR: Olá Maiara em primeiro lugar seja bem vinda ao nosso site e muito obrigado pela oportunidade de publicarmos esse bate papo com você em nosso site!

MB: Obrigada Tiago, é sempre um prezar imenso conversar com você e para o site   que é muito bem conceituado, também com meus amigos e fãs, e você um cara que é apaixonado pelo esporte e faz de tudo para ajudar a crescer, principalmente nós da classe feminina.

SR: Maiara conta para os fãs do   como foi o seu primeiro contato com a moto off road e quando você começou a competir nesse esporte?

MB: Comecei a praticar o esporte por influência dos meus irmãos, tudo o que eles faziam eu tinha que estar junto fazendo também, nós sempre íamos assistir corridas na região, então em 2004 meu irmão mais velho, Lucas, começou a fazer algumas trilhas, logo foi para o velocross, e depois meu pai comprou uma moto para meu irmão do meio. Comecei a brincar, andava somente em algumas provas, e em 2009 fui para um gaúcho de Motocross, fiz uma corrida muito boa, liderei até o final onde cai faltando duas curvas para acabar, percebi que tinha potencial para ser campeã no gaúcho e aquilo se tornou um sonho, foi onde em 2010 comecei me dedicar no esporte, conquistando até o momento 10 títulos Brasileiros, 14 títulos no Gaúcho, sendo dois correndo junto com os homens, fui vice-campeã do Latino Americano de Motocross em 2016 e tenho mais de 20 títulos regionais.

SR: Quando você começou a evoluir na moto já imaginava ou tinha como meta se tornar a melhor piloto do país no campeonato nacional?

MB: Confesso para vocês que nunca imaginava que iria chegar onde cheguei hoje, sempre sonhei alto e vejo isso como a chave do sucesso. Sempre acreditei em mim e nos meus sonhos, sempre dando o máximo de mim. Em 2020 comecei meu ano realizando um dos maiores sonhos de qualquer piloto brasileiro, que é fazer parte da melhor equipe de Motocross do Brasil, a Yamaha! Me sinto realizada dentro do esporte, ser uma das melhores pilotos e referência para muitas mulheres me faz olhar para trás e ver que tudo valeu a pena.

SR: Como foi na sua carreira até ingressar no campeonato nacional nas pistas de motocross e velocross por se tratar de uma menina competindo e quando começou a evoluir e a disputar o pódio tiveram preconceitos?

MB: É mais difícil para nós mulheres praticar esse esporte mas com muito treino e dedicação tudo é possível, exige mais, por isso é preciso estar bem preparada. Como comecei desde pequena no esporte, cresci ao lado de muitos pilotos e vim evoluindo com o tempo, então não tive tanto preconceito com o pessoal do Motocross, mas as pessoas de fora da minha cidade, achavam que era um esporte apenas masculino. Nunca liguei para o que falavam e sempre fui em busca de minhas metas e meus desejos, procurando fazer o que gosto, que é andar de moto. No mundo de hoje temos muito menos preconceito e as mulheres estão ganhando cada vez mais seu espaço, unidas, isso é muito legal. Vários campeonatos estão colocando a categoria feminina, é isso que precisamos.

SR: Como você enxerga suas últimas conquistas no Brasileiro de Motocross e como você acha que será desse ano pra frente?

MB: Posso afirmar que meus últimos anos foram espetaculares, pois passei por momentos difíceis no lado pessoal da minha vida. Nos últimos 5 anos fui campeã na feminina, perdendo apenas 1 etapa de todas participadas. Em 2018 tive um ano bem desafiador, corri o Brasileiro de Motocross, Enduro e Velocross, 3 modalidades completamente diferentes e graças a Deus me consagrei campeã em todas. Sem contar que venho me divertindo muito e aproveitando cada momento, isso é o principal, e é o que desejo fazer em mais esse ano, me divertir, dar o máximo de mim e sempre procurar evoluir. É difícil falar de 2020, pois está sendo um ano extremamente diferente. Estou trabalhando muito na parte física em virtude do corona virus, estou sentindo muita falta das corridas e não vejo hora de voltar a competir, sentir a adrenalina. Vai ser um ano bom, se Deus quiser, estou com muita vontade de vencer e voltar a competir.

SR: Recentemente você mudou de equipe, se ingressando para um dos maiores times do nosso país, apesar de ainda não termos iniciado as competições como você está se sentindo na nova casa?

MB: Estou realizada e todos da Yamaha estão me acolhendo muito bem! É um sonho e parece que não caiu a ficha, estar no lado dos melhores pilotos do Brasil, como o Campano, Paulo Alberto, o Tallys Natan, Pepe Bueno. Eu tenho eles como meus ídolos e hoje estou trabalhando junto com eles. Temos um time maravilhoso, cheio de pessoas competentes como o Sandro, o Pedro, Mau… entre outros. Sem contar que a Yamaha investe muito na Equipe e na marca, apóia muitos pilotos, o trabalho deles é fantástico!

SR: E se tratando de nova equipe, também vem uma nova motocicleta e novos equipamentos como está sendo sua adaptação com tanta coisa nova, conte-nos como está sendo e quais são esses novos produtos que irão te ajudar na disputa do título 2020?

MB: Sobre a moto, ela é simplesmente perfeita. Me adaptei muito rápido, estou me sentindo muito bem, a ciclística dela é incrível, uma moto muito fácil de pilotar, sem contar a suspensão e freios, um conjunto maravilhoso. É uma moto para se divertir e acelerar. Temos o apoio da Vedamotors com CDI da moto, com os canos da Foco, equipamentos IMS. Também fechei com a Mattos Racing com os capacetes e óculos 100% e uma empresa de fertilizantes que se chama SPRAYTEC.

SR: O que você espera da disputa da temporada toda dentro apenas do segundo semestre, vamos ter que acelerar um ano de trabalho em 6 meses, como você enxerga isso como atleta?

MB: Sinceramente não sei dizer se é bom ou ruim. O legal que da para focar esses 6 meses de competições, e o ruim é que fica bem corrido, agosto conforme o pré-calendario teremos 3 corridas, vai ser uma loucura, praticamente o mês todo fora de casa. Também tem as lesões, se algum piloto se machucar em alguma corrida está fora. Mas temos que ser otimistas, vamos torcer que aconteça as etapas previstas e de tudo certo, estamos todos com muita vontade de acelerar e se divertir.

SR: Para finalizar gostaríamos mais uma vez de te agradecer e deixamos esse espaço em aberto para você mandar os abraços aos seus fãs e também para agradecer seus patrocinadores.

MB: Muito obrigada pelo espaço Tiago, espero que possamos ter um ano de muita saúde e sucesso nesse próximo semestre, agradeço a todos vocês que estão sempre me acompanhando e torcendo por mim, e a Yamaha pela grande oportunidade que me deu neste ano, acreditando no meu trabalho. Abraço a todos da Gringa, esse ano com novo número #1!

Continue arrastando para cima ☝☝☝ para conferir todos os patrocinadores do site   👇⚡!
– Clicando no anuncio das empresas você é direcionado ao site da marca!



Veja mais em  

Leia Também

close