HomeShow RadicalEquipe Honda Racing de Rally parte para a disputa da 29ª edição...

Equipe Honda Racing de Rally parte para a disputa da 29ª edição do Sertões

Em busca do décimo título das motos, esquadrão vermelho reforça segurança com uso de colete air bag na prova 100% no Nordeste, válida pelos Campeonatos Mundial e Brasileiro de Rally Cross Country.
Foto: Divulgação

Dona de nove títulos e maior vencedora entre as motos, a equipe Honda Racing de Rally começa nesta semana a jornada da 29ª edição do Sertões. Os pilotos Jean Azevedo, Gregorio Caselani, Bissinho Zavatti, Thiago Veloso e Tiago Wernersbach, sob o comando do chefe Dário Júlio, vão representar o time vermelho no desafio. A principal novidade com relação à segurança será o uso do colete air bag. De 13 a 22 de agosto, a tradicional prova off-road terá largada na Praia da Pipa, em Tibau do Sul (RN), e chegada na Praia dos Carneiros, na cidade de Tamandaré (PE).

O roteiro tem passagem por sete estados do Nordeste: Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Piauí, Bahia, Alagoas e Pernambuco. Ao todo, serão percorridos 3.548 quilômetros, sendo 2.180 de especiais (trechos cronometrados). Além do Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country, a disputa deste ano será válida pelo Campeonato Mundial de Rally Cross Country.

Com isso, uma novidade e exigência que passa a ser adotada por toda a equipe Honda Racing é o uso do colete air bag. “Pelo regulamento da Federação Internacional de Motociclismo (FIM), o equipamento de segurança é obrigatório para quem vai participar do Mundial, que é o caso do Jean Azevedo e Gregorio Caselani, ambos da categoria Moto1, e Bissinho Zavatti, da Moto 2. Os três vão acelerar a moto CRF 450RX. Porém, todo o time Honda usará o colete, incluindo os representantes da categoria Brasil, Thiago Veloso e Tiago Wernersbach, com a CRF 250F”, explica o chefe da equipe, Dário Júlio.

Para esta edição, a CRF 450RX que será utilizada é o novo modelo 2021. “É uma moto mais potente, mais fina, com chassi diferente, que além de deixá-la mais bonita facilita para o rali, modalidade que carrega diversos equipamentos. Por ela ser menor, facilita a pilotagem. Todos da equipe estão felizes com o trabalho de preparação”, destaca Dário Júlio, que desde 2013 comanda o time.

Sete vezes campeão do Sertões na geral das motos, Jean Azevedo ressalta que será um rali diferente. “Pela primeira vez, a prova será realizada toda na região Nordeste. Serão dias mais curtos, porém mais intensos. As especiais serão mais técnicas, o que vai exigir mais dos equipamentos e dos pilotos. Estou bastante animado em busca do meu oitavo título na geral das motos e muito contente com a nova CRF 450RX. Sobre o colete air bag, é uma novidade que foi lançada no último Dakar. A Honda sempre preza bastante pela segurança dos pilotos”, evidencia o piloto de 47 anos, natural de São José dos Campos (SP).

Jean Azevedo
Foto: Divulgação

Dono do título da geral das motos em 2016, Gregorio Caselani, que não disputou a última edição devido a uma lesão, está animado para o retorno à competição. “A expectativa é boa. Venho de bons treinos e estou afiado. É a principal prova do nosso calendário. Teremos uma edição mais longa, com dias curtos, mas que precisará de muita cabeça para vencer. Será uma prova rápida e de ataque o tempo inteiro”, espera o gaúcho de Caxias do Sul (RS), de 35 anos.

Gregório Caselani
Foto: Divulgação

Atual campeão do Sertões na categoria Moto 2, Bissinho Zavatti se preparou bastante para essa disputa. “Vai ser uma prova dura, com bastante navegação e trecho travado. A etapa de Xique Xique (BA) promete ser uma das mais difíceis por causa das areias mais duras que vamos passar. Estou bem focado e em busca do melhor resultado. É o meu nono ano como piloto no Sertões e a cada edição eu vivo um novo sonho, ainda mais neste ano que será válido pelo Mundial”, comenta o paulista de 36 anos, de Monte Alto.

Bissinho Zavatti
Foto: Divulgação

Quem também chega ao Sertões 2021 defendendo título, só que da classe Brasil, é Thiago Veloso. Aos 37 anos, o mineiro de Três Pontas encara a sua segunda edição. “Ano passado fui pela primeira vez e foi tudo novidade. Neste ano será diferente, estou bem-preparado para aguentar esses nove dias. A moto está perfeita. Fizemos os últimos testes na semana passada. Vou em busca do bicampeonato, só que agora temos uma disputa interna bem boa”, alerta Veloso.

Thiago Veloso
Foto: Divulgação

Ele se refere ao novo integrante do time: Tiago Wernersbach. Aos 26 anos, o capixaba de Domingos Martins (ES) chegou à equipe Honda Racing neste ano e já tem se destacado nas provas da modalidade. Venceu o Rally Jalapão e o Rally RN 1500, válidos pelo Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country, na categoria Brasil, com a CRF 250F. “As preparações para o meu primeiro Sertões foram bem fortes, principalmente a parte física. Senti bastante nas primeiras provas que participei. Treinei bastante de moto, estou preparado e confiante. Vou tranquilo e com calma, porque vi que andei bem nas duas primeiras provas da temporada”, diz o tricampeão brasileiro de Enduro na classe E4, destinada às motos de fabricação nacional.

Tiago Wernersbach
Foto: Divulgação

A equipe Honda Racing de Rally é patrocinada por Pro Honda, Alpinestars, ASW, DID, Michelin e Seguros Honda.

Confira o roteiro completo do Sertões 2021*:

13/08/2021 – sexta-feira – Prólogo – 11 km
Praia da Pipa – Tibau do Sul (RN)

O Prólogo, disputa que define a ordem de largada do primeiro dia, vai simular uma situação real de prova. Em um percurso de 11 km, os pilotos conseguirão acelerar e os mais rápidos vão largar na frente.

14/08/2021 – sábado

1ª etapa – Praia da Pipa – Tibau do Sul (RN) a Patos (PB)
Deslocamento inicial: 82 km
Trecho especial: 235 km
Deslocamento final: 93 k
Total: 410 km

O Sertões 2021 terá início com o competidor se aclimatando à prova para chegar ao ápice lá no meio. A especial começa mostrando a cara do rally em 2021. No primeiro dia, não haverá areia, mas uma região montanhosa, muito bonita e inédita. O dia contará com média e alta velocidades, uma parte mais travada, exigindo navegação. Depois, o ritmo mais rápido ditará a disputa e no último terço, um pouco de trial e quebradeira.

15/08/2021 – domingo
2ª etapa – Patos (PB) a Araripina (PE)
Deslocamento inicial: 27 km
Trecho especial: 245 km
Deslocamento final: 237 km
Total: 509 km

A segunda etapa será uma especial muito boa e dura, com predomínio de piçarra e estradas de fazenda. Não deve ter lama. Será uma etapa de ligação, que levará para o sertão mais a oeste, com pequenas estradas estreitas.

16/08/2021 – segunda-feira
3ª etapa – Araripina (PE) a São Raimundo Nonato (PI)
Deslocamento inicial: 146 km
Trecho especial: 220 km
Deslocamento final: 38 km
Total: 404 km

O terceiro dia promete uma etapa prazerosa, com muitos trechos rápidos. Começa em pequenas estradas e depois segue para estradas mais largas, com um pouco de retas e boas condições de pilotagem. O deslocamento inicial será muito bonito, com passagem por parques eólicos, subidas e descidas de serra até chegar no início da especial, em um vilarejo. O trecho cronometrado será travado, com travessia de ponte de 800 metros de comprimento e passagem por fazenda. Na sequência, entra em uma parte mais rápida, volta para uma região montanhosa, até chegar à parte final, que é bem rápida.

17/08/2021 – terça-feira
4ª etapa – São Raimundo Nonato (PI) a São Raimundo Nonato (PI)
Deslocamento inicial: 0 km
Trecho especial: 306 km
Deslocamento final: 5 km
Total: 311 km

A quarta etapa será em laço, com largada e chegada em São Raimundo Nonato (PI). A prova será prazerosa, em um lugar com visual magnífico. A especial é 100% inédita, em torno da Serra da Capivara, em trilhas que nunca foram usadas, com muita pedra e rocha. O começo será em trial, com os primeiros 20 quilômetros duríssimos. Depois, o trecho fica travado e volta a ser rápido. A última parte é uma serra e, por fim, a prova fica mais rápida.

18/08/2021 – quarta-feira
5ª etapa – São Raimundo Nonato (PI) a Xique Xique (BA) – Maratona
Deslocamento inicial: 11 km
Trecho especial: 329 km
Deslocamento final: 93 km
Total: 433 km

A primeira parte da maratona, embora em uma região já conhecida, será a melhor e ao mesmo tempo mais dura especial do ano do rally. A organização preparou o inédito trecho de 220 quilômetros ininterruptos de areia, além de passagem por todos os brejos (vilas) da região. Haverá travessia de balsa e os pilotos seguirão agrupados. O Sertões passou na região em 2012. Os apoios seguem direto para Petrolina (PE).

19/08/2021 – quinta-feira
6ª etapa – Xique Xique (BA) a Petrolina (PE) – Maratona
Deslocamento inicial: 0 km
Trecho especial: 310 km
Deslocamento final: 146 km
Total: 456 km

Para a segunda parte da maratona, o rally terá uma especial dura, com muita navegação e piçarra. Haverá pouca areia nesse dia, mas a técnica, concentração e equipamento serão essenciais. Todo o cuidado e atenção é pouco em mais uma especial inédita.

20/08/2021 – sexta-feira
7ª etapa – Petrolina (PE) a Delmiro Gouveia (AL)
Deslocamento inicial: 133 km
Trecho especial: 242 km
Deslocamento final: 60 km
Total: 435 km

A sétima etapa terá uma especial mais completa, em local inédito para os participantes. Eles vão andar às margens do Rio São Francisco e o dia será dividido em três partes. A primeira, com trecho bem técnico em um terreno duro e apertado em estradas pequenas e passagem por rios que vão estar secos. A segunda parte vai andar em um local mais rápido e estrada de piçarra. Já a terceira parte entra em um trecho de areia que fica mais duro. Será areia pesada até o final.

21/08/2021 – sábado
8ª etapa – Delmiro Gouveia (AL) a Arapiraca (AL)
Deslocamento inicial: 7 km
Trecho especial: 152 km
Deslocamento final: 80 km
Total: 235 km

A prova segue acompanhando o Rio São Francisco, com mais uma especial inédita, técnica e dura. Começa com trechos sinuosos, algumas passagens por vilas e zonas de radar. Os competidores vão andar em trechos do estado de Alagoas. O piso muda radicalmente de piçarra para areia, para alguns trechos de trial, com pedras grandes, e termina em estradinhas de fazenda mais rápidas.

22/08/2021 – domingo
9ª etapa – Arapiraca (AL) a Tamandaré (PE)
Deslocamento inicial: 190 km
Trecho especial: 141 km
Deslocamento final: 20 km
Total: 351 km

O último dia do Sertões 2021 foi pensado para todos no rally. Não só para os competidores, mas para toda a equipe que terá tempo de chegar à base final para comemorar o fim da disputa. Apesar de curto, o trecho exigirá navegação e muita atenção. Não terá areia, mas a especial apresenta piçarras, pedras e subidas e descidas de serras, além de um trecho de canavial. O visual promete ser bonito.

TOTAL DO PERCURSO: 3.548 km
TOTAL DE ESPECIAIS: 2.180 km

* O roteiro é fornecido pela organização do evento e está sujeito a alterações.

Continue arrastando para cima ☝☝☝ para conferir todos os patrocinadores do site   👇⚡! 

– Clicando no anuncio das empresas você é direcionado ao site da marca!



Veja mais em  

Leia Também

close