Esportiva da Suzuki, GSX-R 1000 está com os dias contados

0
15

Já faz algum tempo que a Suzuki não apresenta uma motocicleta novinha em folha, um projeto inteiramente criado do zero. E, sem atualização, alguns modelos como a superbike GSX-R 1000 R correm o risco de sair de linha na Europa. Além disso, o recente anúncio de despedida da MotoGP e novos planos para a fabricante, parecem que comunicam o fim da linha de fato…

Suzuki GSX-R 1000 pode sair de linha

A Suzuki atualizou a sua trail V-Strom 1050 em 2020, mais tarde foi a vez da Hayabusa, GSX-S 1000 e GSX-S 1000GT, em 2021. Mas enquanto alguns modelos foram repaginados nos últimos anos, o restante da linha ganhou apenas pacotes de novas cores e novos grafismos durante esse período.

Com isso, agora os japoneses têm uma decisão pontual a tomar sobre a sua superbike GSX-R 1000 R. O mercado europeu de motos exigia que os novos modelos homologados atendessem ao mais recente padrão de emissões (Euro5), até janeiro de 2020.

Enquanto isso, as fabricantes tinham um ano extra para homologar as motocicletas de seu catálogo já existente em linha. Bem, janeiro de 2021 veio e se foi e a principal moto esportiva da Suzuki, GSX-R 1000 R, permaneceu como estava.

antiga GSX-R 1000, ano 2001

Superesportiva foi lançada no mercado mundial em 2001

Para manter o modelo no mercado, a marca então entrou com pedido de uma extensão de “Fim de Série”. Ação que permitiu que os revendedores continuassem vendendo unidades da GSX-R 1000 R não compatíveis com o novo Euro, por mais dois anos.

Essa exceção deu à Suzuki um período de carência de dois anos. Mas agora, com janeiro de 2023 no horizonte, a empresa terá que decidir se atualiza ou retira a moto do mercado europeu – daqui menos de seis meses…

GSX-R 1000 em exposição no salão duas rodas

última grande atualização aconteceu no modelo em 2017

Veja também:

GSX-R 1000 precisa de atualizações

A linha GSX-R 1000 R recebeu sua atualização mais recente em 2017. Então, de fato a superbike precisa de uma repaginada completa. No entanto, o cenário parece desanimador. A Suzuki confirmou recentemente que deixará a MotoGP e o Endurance World Racing (EWC), até o final da temporada de 2022.

Então como se vê, o desenvolvimento de uma nova superbike pode não ser mais a prioridade. A marca se diz agora focada em plataformas mais sustentáveis, fora das pistas. Além disso, a Suzuki já retirou as GSX-R 600 e GSX-R 750 da Europa – devido às normas de emissões.

Lado a lado, a superbike de rua GSX-R 1000 e o protótipo da MotoGP, GSX-RR. Em comum, além das cores, o fato de estarem próximas da aposentadoria

A Suzuki pode adotar com a GSX-R 1000 R a mesma ação que teve como a Hayabusa. Retirar o modelo de linha – mesmo que por alguns anos – e se o mercado tiver demanda, trazê-lo de volta ao catálogo.

Por enquanto, tudo o que sabemos é que se a superesportiva sair de linha na Europa, deve seguir ainda viva em regiões como o Japão e as Américas – ao menos por algum tempo…

Veja mais em Motonline.com.br