HomeTestes e Reviews de MotosFinanciamento de motos: 5 detalhes a cuidar antes de assinar

Financiamento de motos: 5 detalhes a cuidar antes de assinar

O financiamento de motos permite ao comprador que não pode optar pela compra à vista, ou esperar pelo consórcio, sair rodando com a sua aquisição.

No entanto, a modalidade ainda deixa dúvidas aos novos clientes e mesmo como tudo funciona na hora de realizar o pagamento. Por isso, dando sequência à nossa série sobre financiamento e consórcios, vamos apresentar pontos que você precisa ficar atento na hora de fazer negócio.  

Financiamento de motos: dicas para ficar atento

1 – Como financiar uma moto?
2 – Qual ano a moto pode ter para financiar?
3 – Quais bancos ou instituições fazem financiamento de motos?
4 – Quanto de entrada é preciso para financiar motos?
5 – Qual o nível de score é preciso para financiamento?

Financiamento de motos

Financiamento é uma forma de sair rodando, para quem não pode aguardar por um consórcio

 

Veja também:

1 – Como financiar motos?

Parece óbvio, mas antes de optar por um financiamento é preciso ter mais claro do que realmente se trata essa forma de aquisição de bens. O financiamento nada mais é que uma modalidade de empréstimo, o Crédito Direto ao Consumidor. Entretanto, nessa forma, o valor é liberado para ser direcionado a uma compra em específico.

Financiamento

Fique atento às regras de financiamento antes de fechar contrato e sair com a moto…

Por isso, na hora financiar o cliente está em resumo solicitando um valor a uma instituição financeira, para a compra de uma moto, por exemplo. O órgão responsável pelos valores vai então analisar o perfil do solicitante, para que seja liberada a quantia necessária para a compra.

O financiamento pode ser realizado por vezes diretamente nas concessionárias ou mesmo junto a instituições financeiras. Fique atento a empresas e bancos de sua confiança! Existem fabricantes como a Honda e Yamaha que oferecem diretamente seus produtos financeiros para uma maior agilidade em seus pontos oficiais de venda. As exigências e tramites variam para cada empresa, mais a frente vamos conferir alguns pontos em comum.

A nova Yamaha Factor 150 tem um design inovador e agressivo - Proposta de maior conforto ao motociclista

Fabricantes como a Honda e Yamaha tem seus próprios bancos para oferecer serviços de crédito

2 – Qual ano a moto pode ter para financiar?

De modo geral não existe uma legislação que especifique a idade limite para um modelo ser aceito no financiamento de motos. Porém de forma geral, as instituições financeiras estabelecem 10 anos de idade para as motocicletas.

Honda CG

Não existe ano limite para o modelo entrar no financiamento, entretanto, depende de cada banco ou financeira…

Existem ainda bancos que destacam que a opção de compra – para novas ou usadas – vai para motos com até 4 anos de fabricação. Entretanto, não é regra, tudo depende do local e instituição que você estiver negociando. Mas atenção! Em geral quanto mais antigo for o ano de fabricação do bem em questão, costuma ser maior o valor a ser pago no financiamento.

3 – Quais bancos ou instituições fazem financiamento de motos?

Como já visto anteriormente, existe um número considerável de instituições que podem oferecer a modalidade de financiamento de motos aos clientes. As mais comuns são diretamente os bancos ou as instituições das próprias fabricantes, presentes nas concessionárias.

No entanto, as sociedades de crédito, financiamento e investimento – as populares “financeiras” – tem seu espaço e se fazem presentes em diversas revendas. Elas são instituições privadas que fornecem empréstimo e financiamento.

Piso flat, banco largo e agora em nova versão DLX, na cor preto perolizado e detalhe em dourado no escudo frontal

A modalidade de financiamento é uma forma de compra, para quem precisa de um meio de trabalho e condução…

Muitas destas financeiras atuam em nichos que não são atendidos pelos grandes conglomerados bancários. Por elas então são realizados financiamentos com características mais específicas, com risco mais elevado, como o financiamento de usadas. Vale aqui ressaltar que sempre deve ser conferida a reputação da instituição e as cláusulas do contrato antes de se aceitar o financiamento.

4 – Quanto de entrada é preciso para financiar motos?

O valor de entrada serve para diminuir o número de parcelas do financiamento. Além disso, claro, reduzir o valor pago em juros – que é geralmente alto, fique atento! O valor da parcela é sempre o resultado do montante concedido pelo banco ou instituição, mais as taxas cobradas divididas pelo prazo do financiamento. Quanto mais longo, mas você vai pagar.

Fique atento aos juros, cláusulas do contrato e também o valor da parcela!

De modo geral, um financiamento de motos costuma se estender por períodos entre 48 e 72 meses. Isso porque, atualmente, é possível financiar uma compra sem entrada. Isso mesmo, mas tudo depende das condições oferecidas e avaliadas pela financeira.

Por fim, não existe um valor ideal para a entrada. Mas uma dica valiosa e, que vai pesar na hora da liberação do financiamento, é deixar o valor da parcela comprometendo não mais do que 30% de sua renda. A partir daí vai variar do modelo escolhido e do prazo negociado para pagamento.

motos mais vendidas

A moto tem sido buscada cada vez mais frequentemente como o meio de uso no dia a dia…

5 – Qual o nível de score é preciso para financiamento de motos?

O popular “score” é a escala de pontuação individual de clientes no mercado financeiro. Esse registro é medido e avaliado a partir de instituições como o Serasa. A pontuação varia de acordo com o registro de pagamentos e pedidos de crédito por parte do consumidor.

As financeiras e bancos avaliam o seguinte, em uma escala de 0 a 1.000 quanto mais próximo da nota máxima, menor o risco de calote. Com isso, neste quesito vai depender do perfil de cada solicitante do financiamento e também da instituição o fechamento do negócio. Não existe um score ideal. No entanto, quanto mais alto melhor.

Honda CG Titan 160

Mesmo que o sonho e a necessidade da moto 0km seja grande, fique atento aos valor das parcelas!

Porém vale ressaltar que mesmo pessoas com o nome “limpo” e pontuação alta, podem ter dificuldade na concessão. Isso porque, é preciso ter a renda aprovada. As instituições avaliam a fonte de rendimentos do cliente como forma de medir se o solicitante vai poder honrar os pagamentos. Lembra da dica para não comprometer mais de 30% da sua renda? Fique ligado, ainda vem mais informações por aqui.

Veja mais em Motonline.com.br

Leia Também

close