IPVA 2022: 5 dicas para não cair em golpes

0
46

O ano novo já chegou e com ele o IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). Em 2022, de acordo com a Secretaria da Fazenda e Planejamento de São Paulo, o tributo está em média 22,54% mais caro, com base em estimativa de preços no varejo, a Tabela Fipe. Mas isso não é tudo…

Se aproveitando dos brasileiros, preocupados com o pagamento do IPVA, golpistas usam o momento para enganar proprietários. Atualmente circulam pela Internet, WhatsApp e SMS iscas que levam diretamente à golpes. Fique atento, e não perca seu dinheiro.

Os preços subiram na Fipe e devem representar em média em um IPVA 22,54% mais caro

1 – Atenção aos sites falsos 

Atualmente, os diversos estados do país já oferecem a facilidade de pagamento do IPVA por meios digitais. No entanto, fique atento! Os golpistas também já se aproveitaram dessa comodidade, criando sites falsos que simulam a aparência das páginas oficiais.

Essa prática é conhecida como phishing e representa um risco para os proprietários de veículos. Isso porque o golpe é uma tentativa fraudulenta para adquirir senhas, dados financeiros, além de demais dados pessoais.

Para evitar a situação, as secretarias estaduais estão fazendo campanhas de alerta. Portanto, fique ligado na hora do acesso aos sites do governo do estado, em que o automóvel está registrado, páginas do IPVA e rede bancária credenciada.

Ficou na dúvida na hora de pagar? Consulte informações de descontos somente de meios oficiais!

2 – Golpe do desconto no IPVA

Outro ponto importante de atenção é que golpistas, se passando por órgãos oficiais na Internet, estão oferecendo serviços e boletos. Para atrair ainda mais vítimas é adicionada a isca do desconto. De fato, os estados oferecem abatimentos no IPVA, mas fique atento.

A partir de sites falsos, criminosos emitem até guias de pagamento do imposto e tentam enganar os contribuintes. O alerta vem da Procuradoria Geral do Estado (PGE) de São Paulo, que ressalta que não faz esse tipo de contato oferecendo reduções.

Veja também:

3 – Fique atento a links e e-mails de IPVA

Outra técnica usada no intuito de ludibriar os contribuintes é o envio de e-mails e links para a emissão das guias. Títulos chamativos, ofertas de descontos e prazos vencidos são as iscas usadas para atrair o clique e mesmo um pagamento em uma conta suspeita.

Na dúvida, não abra a mensagem. Acesse a página oficial e checada da Secretaria da Fazenda do seu Estado. De lá, é possível ver o status real de informações referentes ao IPVA. Todo cuidado é pouco, então evite realizar uma falsa quitação do imposto.

multas-suspensão-cnh-transito-motonline-2-800x533

Golpistas usam gatilhos como a pressa, para embolsar pagamentos dos contribuintes

4 – Boleto falso do IPVA

Sim, não bastando o contribuinte ter que lidar com e-mails e links suspeitos, também precisa ficar alerta aos boletos falsos. No caso de recebimento em de uma correspondência em casa sobre o IPVA confira bem os dados que são constados.

Os golpistas podem enviar um documento parecido ao original, mas com o código de barras alterado. Confira para onde estão indo os valores, no momento de fechar o pagamento. Ressaltando que de fato atualmente onze estados do Brasil e o Distrito Federal enviam boletos de pagamento pelos Correios em correspondência física. Mas fique alerta!

A peso de ouro! Aumento no imposto reflete a alta demanda no mercado, em meio ao cenário de pandemia

5 – Opção pelo atendimento presencial 

O pagamento do IPVA por meios digitais já é uma realidade e praticidade. No entanto, merece grande atenção dos contribuintes para não serem enganados. Aos que não preferem esta forma, os pagamentos presenciais ainda são uma opção.

Importante destacar que o imposto é de competência das respectivas Secretarias Estaduais da Fazenda. Como exemplo, o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran/SP) não é responsável pelo recolhimento e descontos.

Desta forma, os pagamentos presenciais são realizados pelas agência bancárias credenciadas nos estados, mediante apresentação do número do Renavam.

Veja mais em Motonline.com.br