HomeTestes e Reviews de MotosKawasaki a um passo da moto a hidrogênio

Kawasaki a um passo da moto a hidrogênio

Como adiantamos aqui no Motonline, a Kawasaki planeja lançar 10 motos elétricas e híbridas até 2025. Dessa forma, a marca firma aliança com a Yamaha e outras marcas de veículos para produzir tecnologia para combustíveis ecológicos. E é desta forma que sua moto a hidrogênio sair do papel. 

moto elétrica

Esse protótipo abrirá a Era da motos elétricas da Kawasaki e de seus projetos mais sustentáveis

No entanto, a Xiaomi, empresa multinacional chinesa do ramo da tecnologia e manufatura de produtos eletrônicos, já adiantou que não só vem trabalhando em uma moto a hidrogênio e elétrica como também já possui um preço médio da moto sustentável

Veja também:

Moto a hidrogênio: japonesas unem forças 

Protótipo do motor modificado para receber hidrogênio

Além da Kawasaki e da Yamaha, a cooperação para pesquisar combustíveis alternativos inclui os fabricantes de automóveis Subaru, Toyota e Mazda. Assim, as marcas que fabricam carros estão mais focadas em em combustíveis sintéticos e feitos de biomassa. Enquanto isso, as duas japonesas do ramo das duas rodas estão unindo forças para construir um motor de moto a hidrogênio.

Assim, nessa corrida contra o tempo a Kawasaki já largou na frente. Isso porque não é de hoje que a marca quer ser 100% verde e amiga da natureza. Desde 2010 a companhia vem desenvolvendo tecnologias para fabricar, transportar e usar hidrogênio.

Dessa forma, a empresa também conta com um navio de transporte especial que está programado para entrar em operação no próximo ano a fim de levar para o Japão grandes volumes de hidrogênio produzido na Austrália.

 

Quanto custa a moto a hidrogênio Xiaomi

A moto a hidrogênio da Xiaomi deve chegar ao mercado em 2023

No primeiro semestre deste ano a Xiaomi anunciou que já está desenvolvendo a primeira motocicleta híbrida com motor elétrico e a hidrogênio. O modelo recebeu o nome de Segway Apex H2, sendo a continuação da Segway Apex, sua primeira moto elétrica lançada em 2019. 

A moto a hidrogênio deve custar quase R$ 60 mil

De acordo com a Xiaomi, basta trocar o botijão e a moto a hidrogênio já está carregada. O seu consumo gira em torno de 1 grama de hidrogênio por quilômetro. Além disso, a moto chega a velocidade máxima de 150 km/h e vai de zero a 100 km/h em 4 segundos.

Por fim, a expectativa é de que a moto da Xiaomi seja lançada em 2023 por aproximadamente 10.700 dólares, cerca de R$ 58.880 em conversão direta. Nada mau para um conceito de moto a hidrogênio e elétrica.

Veja mais em Motonline.com.br

Leia Também

close