Moto para delivery: top5 usadas e baratas

0
106

O mercado de entregas segue em crescimento em todo o país. A cada dia surgem novas plataformas com diferentes vantagens e propostas, aumentando a demanda por profissionais que não tenham medo de encarar o trânsito da cidade ou o sol quente. Pessoas prontas para trabalhar como motoboy.

Entretanto, nem todos conseguem ingressar na profissão já com uma moto 0km – ainda mais diante dos consideráveis aumentos que elas tiveram no último ano. Por isso criamos uma lista com moto para delivery usadas e baratas, mas igualmente aptas para rodar muito e gastar pouco.

moto para delivery - honda cg

Uma boa moto para delivery é econômica, resistente e de fácil manutenção. E preferencialmente barata, claro – Foto: Agência Brasil

 

Moto para delivery: as novas estão mais caras

Ainda nesta semana falamos sobre os aumentos recentes nos preços das motos. Pegamos as líderes de cada categoria e comparamos o valor médio cobrado pelas concessionárias em uma zero quilômetro em setembro do ano passado e no mesmo mês de 2021.

Nem todo motoboy que está começando tem R$ 15.800 (Fipe) para comprar uma Titan zero quilômetro. Por isso, as usadas podem ser uma boa opção

Quem dera o aumento fosse apenas os 8% que a inflação registrou em 2020. A diferença média ficou na casa dos 20% e não poupou nenhuma marca ou estilo, todos estão mais caros. Por isso, comprar uma moto usada ou seminova está cada vez mais atrativo – ainda que o crescimento na procura também tenha as deixado mais caras. Os preços citados aqui foram extraídos da FIPE em setembro de 2021.

 

Moto para delivery: opções usadas e baratas

Modelo Categoria Preço FIPE
CG 150 Cargo Flex ESD 2013 Street R$ 7.706
Pop 110i 2016 Street mais nova R$ 6.658
Neo 115 2011 Scooter R$ 5.012
Crosser ED 2014 Trail R$ 8.143
Intruder 125 2011 Custom R$ 5.536

Veja também:

 

1 – Moto para delivery usada: a inevitável Honda CG Cargo

É impossível fazer uma lista de motos para trabalhar com entregas e não citar a Honda CG. Além de moto mais vendida do país, ela é figura sempre presente nas mãos de motoboys de Norte a Sul do país. E o motivo, claro, é a economia e facilidade de manutenção.

moto para delivery - honda cg cargo 2013

A Cargo literalmente nasceu para o trabalho. Tem bagageiro amplo e reforçado, cavalete central e outros recursos que podem lhe ajudar na hora do corre

E ainda há a Cargo, pensada exclusivamente ao uso profissional. Tem um robusto suporte para bauleto que pode suportar até 20 kg e mais alguns itens de série que ajudam no corre, como cavalete central. A Flex ESD 2013 ainda tem partida elétrica, freio dianteiro a disco e possibilidade de rodar tanto com gasolina como etanol, de acordo com o que estiver mais em conta na bomba.

moto para delivery - honda cg cargo 2013

Principal ponto negativo da Cargo é o visual. É uma boa moto para trabalhar, mas não a melhor opção para o rolê do final de semana

Prós: Robustez; economia; cavalete central e bagageiro reforçado
Contras: Disponível apenas na cor branca; banco apenas para uma pessoa, ainda que retire o bagageiro
Consumo médio: 40 km/litro (gasolina)

 

2 – Pop 110i, para quem não quer uma ‘moto velha’

A Pop 110i é a moto mais barata do Brasil há algum tempo. Por isso é uma opção para quem quer uma usada para fazer entregas mas não topa um modelo mais velho e com mais quilômetros no currículo.

moto para delivery - pop 2015

A Pop 110i é econômica, resistente e de manutenção barata. É uma opção para quem quer uma moto com até 5 anos de uso mas está com a grana curta

A 2016 é o primeiro modelo da 110i, que trouxe a importante injeção eletrônica. Assim, a motinho ficou mais esperta e econômica. Sua potência subiu de 6,17 cv e 0,74 kgf.m de torque para 7,90 cv e 0,90 kgf.m. Além disso, modou o painel, filtro de ar e carenagens, deixando a pequena mais ‘gordinha’.

painel pop 110i 2016

Entre seus pontos negativos está o simplismo do design e do painel, que sequer informa sobre nível de combustível

Prós: Preço, facilidade de manutenção; poucas carenagens plásticas; baixo consumo
Contras: Tanque de apenas 4,2 litros; desconfortável para pessoas altas; visual e painel simplistas
Consumo médio: 46,3 km/litro (veja o teste)

 

3 – Scooter barato para delivery: Yamaha NEO 115

Muitos que procuram uma boa moto para delivery estão se redendo aos scooter. São leves, econômicos, automáticos, práticos. Um de seus problemas mais comuns, porém, é o preço. Afinal, via de regra são mais caros que as street de potêcia equivalente.

Há quem goste de fazer entregas de scooter. Para estes, o NEO 115 é uma opão barata e com boa ciclística para encarar a buraqueira da cidade

E é aí que entra o trunfo do NEO 115. A primeira geração dos scooter Yamaha (que nada tem a ver com o NEO 125 atual) é confiável, graças principalmente às rodas grandes. De quebra tem ciclística ‘de moto’, como as CUB. Também tem bons freios e em 2007 recebeu uma importante atualização no visual. Seu motor gera 8,3 cv de potência e 0,8 kgf.m de torque.

neo 115 consumo

Apesar do visual moderno, inspirado na R1 da época, NEO 115 ainda tem carburador. E ele cobra seu preço no consumo

Prós: Ciclística ‘de moto’ com rodas de 16″; mais facilidade para engolir buracos; visual entre os modelos 2008 e 2012
Contras: Tanque pequeno de 4,8 litros; alimentação por carburador; consumo elevado para a cilindrada
Consumo médio: 31 km/litro

 

4 – Moto para delivery: a versátil Yamaha Crosser

Elas são ágeis e versáteis, sem medo de cara feia, tempo ruim, estrada de terra e asfalto esburacado. Por isso, talvez as trail sejam as melhores motos para trabalhar com delivery. E se for confiável, econômica e barata é melhor ainda.

crosser 2014

A Crosser chegou em 2014 com uma bela receita, praticamente inalterada até hoje

A Yamaha Crosser preenche todos estes requisitos. Como bônus ainda tem bom nível de acabamento e painel com contagiros. Além disso, o conjunto mecânico entre uma 2014 e uma zero quilômetro é praticamente idêntico. Porém, aconteceram alguns recall para solucionar problemas pontuais nos primeiros anos, fique atento se a unidade em questão passou por eles.

crosser 2014 teste

A Crosser é uma moto excelente para encarar o rali das cidades, mas fique atento aos recall dos primeros modelos

Prós: economia; conforto; rodas grandes (19″ e 17″); suspensão de longo curso; bom nível de acabamento
Contras: passou por alguns recall; não possui relógio no painel; plásticos desgastam com certa facilidade
Consumo médio: 38 km/litro (veja o teste)

 

5 – Para trabalhar com estilo: Suzuki Intruder 125

Procurando um boa moto para trabalhar com delivery por até R$ 5 mil? Calma, não precisa recorrer às CG dos anos 1990 ou primeira geração da YBR. Há outras opções.

suzuki intruder 125

Ah, a Intruder 125 é uma guerreira. Resistente e confortável, foi a primeira moto de muitos e até hoje é procurada para projetos de customização

Entre elas está a Suzuki Intruder 125. Famosa por ser a primeira moto de muitos, por dar origem a inúmeros projetos de customização e por ser usada no uso profissional – até pelo Correios – esta é uma guerreira nacional. Prefira as produzidas de 2007 a 2011, pois no ano seguinte ela perdeu alguns cavalos de potência em virtude do Promot3. Veja seu review completo aqui.

Em 2012 o modelo recebeu algumas melhorias, mas seu motor acabou ficando mais fraco. O desempenho, que já não era seu principal atributo, perdeu pontos

Prós: facilidade de encontrar peças; estilo; economia; robustez
Contras: nível de vibração do motor; falta de injeção eletrônica; velocidade limitada em rodovias
Consumo médio: 35 km/litro (relembre o teste)

Veja mais em Motonline.com.br