HomeTestes e Reviews de MotosTécnicas para curvas de moto e scooter: olhar que atrai ou distrai?

Técnicas para curvas de moto e scooter: olhar que atrai ou distrai?

Então, vamos continuar a falar sobre técnicas para fazer curvas? Este é o segundo artigo da série 5 Segredos das Curvas, que explica detalhadamente a melhor forma de fazer curvas em uma pilotagem defensiva. Assim, ela foi pensada especialmente aos iniciantes no motociclismo e pilotos de scooter, afinal esta categoria está em pleno crescimento no Brasil e vem sendo escolhida por muitos como sua primeira moto.

O olhar é uma ferramenta chave para fazer curvas de forma segura, por isso treine-o para que seja seu aliado – Foto: Geórgia Zuliani

O olhar é uma ferramenta chave para fazer curvas de forma segura, por isso treine-o para que seja seu aliado – Foto: Geórgia Zuliani

Acesse o primeiro artigo da série aqui. Do mesmo modo, vale a pena lembrar quais são os cinco ‘segredos’, que estamos desmistificando aqui:

1- Três partes da curva;
2- Olhar que atrai ou distrai;
3- Dois limites de inclinação;
4- Movimentação do corpo;
5- Contra esterço

Como fazer curvas de moto e scooter: olhar que atrai ou distrai?

Antes de continuar, deixa-me contar duas histórias que aconteceram comigo há alguns anos. Na primeira, eu estava voltando de uma viagem e sempre tive o vício de olhar muito próximo à frente da moto. Minha cabeça baixava e não percebia que minha visão da estrada ficava limitada. Em uma entrada de curva, na Serra do Mar, foquei na cabeça da curva e não procurava com meu olhar o final dela… Aconteceu, então, que fui parar na valeta que escoa água da chuva, localizada na beira da estrada.

Outra vez ia ao trabalho em uma das avenidas de São Paulo, no Centro, onde havia muitas pessoas caminhando pelas calçadas e ocupando até partes das ruas. Estava em uma velocidade compatível ao trânsito local, entre 30 a 40 kmh. Mesmo assim, de repente olhei para uma linda mulher na calçada e enquanto olhava a moça continuei em aceleração. Bem, preciso dizer o que aconteceu? Errei a entrada de uma curva. Assim, o resultado foi um tombo que doeu mais o ego do que a perna: fui parar atrás de um carro estacionado.

A importância de olhar para o ponto certo

Essas duas experiências têm um ponto em comum: a importância de se olhar para o local certo e com atenção enquanto se faz uma curva. No primeiro caso, meu erro foi deixar meu olhar ser atraído para a valeta (enquanto, no segundo, foi ‘distraído’), ao invés de mantê-lo sempre na parte final da curva. O correto, portanto, é ‘escanear’ a pista, aproveitando os ângulos de sua visão para ver e seguir a sinuosidade das curvas e bailar com sua moto ou scooter, procurando sempre o ponto final da curva.

Lembre-se que a curva possui três partes: entrada, meio (cabeça) e saída. Mantenha o olhar fixamente no final da curva, aonde você quer chegar com sua moto ou scooter

Lembre-se que a curva possui três partes: entrada, meio (cabeça) e saída. Mantenha o olhar fixamente no final da curva, aonde você quer chegar com sua moto ou scooter

Mas e quando a curva for cega? Boa pergunta. Quando não conseguimos enxergar o fim dela (independente do motivo, como pilotagem à noite, pista muito sinuosa ou algum obstáculo à frente) é preciso prezar pela segurança. Vá mais devagar já na entrada da curva e contorne-a calmamente de forma que consiga explorar ao máximo seu ponto de visão, por mais limitado que seja, até avistar o fim da curva ou algo como uma sinalização de solo, um guard-rail, etc.

Cuidado com distrações

Neste sentido, tem uma frase que gosto muito: ‘O ser humano nunca está desatento, apenas dá atenção ao que é menos importante’. O exemplo que dei sobre a moça ilustra uma realidade comum, especialmente no trânsito urbano, onde há muitos elementos que podem desviar nossa atenção, sejam pessoas, carros, prédios, parques, placas, outdoor, etc.

Na prática, a regra é simples: você irá andar pela direção na qual está olhando. Então evite distrações e mantenha seu olhar sempre atento ao que realmente importa - Foto: Geórgia Zuliani

Na prática, a regra é simples: você irá andar pela direção na qual está olhando. Então evite distrações e mantenha seu olhar sempre atento ao que realmente importa – Foto: Geórgia Zuliani

Então, o olhar atrai ou distrai?

Portanto, podemos concluir que o olhar correto é essencial para que consigamos fazer a curva de uma forma segura, seja de moto ou scooter. Seremos automaticamente atraídos para o ponto no qual mantemos nosso olhar, por isso a importância de olhar fixamente ao ponto final da curva. Então, sempre, olhe para onde quer ir.

Da mesma forma, precisamos focar no que realmente importa, no que está a nossa frente, evitando distrações e reduzindo as chances de causarmos acidentes, como colisões com objetos que estão a nossa frente. Lembre-se: ninguém é desatento, apenas não foca sua atenção no que realmente importa.

Agora que já aprendemos sobre os 3 pontos da curva (no artigo 1) e a respeito da importância de manter o olhar correto na pilotagem defensiva, vamos abordar os dois tipos de limite de inclinação que há em motos e scooter. Na próxima semana, fique ligado!

Texto Carlos Amaral
Carlos Amaral, responsável pedagógico e instrutor de pilotagem defensiva Porto Seguro Cia de Seguros Gerais e Carlos Amaral & Zuliani Motorcycle Training. Geórgia Zuliani, fotógrafa e administradora da Carlos Amaral & Zuliani Motorcycle Training.

Veja mais em Motonline.com.br

Leia Também

close