HomeMotorsports.ptA história das famosas botas de motocross de Ryan Dungey e James...

A história das famosas botas de motocross de Ryan Dungey e James Stewart

Usadas por Ryan Dungey e James Stewart, as botas de motocross Nike Air MX 6.0 fazem agora parte de um passado esquecido.

Em 2009, a famosa marca de calçado Nike não teve dúvidas: as Air MX 6.0 era simplesmente o melhor par de botas de motocross do mercado. Tudo começou durante uma conversa com Chip Jones, um engenheiro e um dos especialistas de marketing da Nike. “E se fizéssemos um par de botas de motocross? Chip Jones, um entusiasta de motociclismo desde jovem, aproveitou a oportunidade e perguntou a Ryan Dungey, um piloto já patrocinado pela Nike. Entusiasmado com a aventura, o condutor oficial da Suzuki na altura concordou imediatamente.

O projecto viria a ser aprovado mas, até serem fabricadas as botas ainda seria necessário percorrer um longo caminho. Ryan Dungey recebeu um questionário aprofundado, de forma a perceber, entre outras coisas, o que é que ele esperava de um par de botas. Os engenheiros recolheram todas as informações antes de construírem o novo par de botas, a partir das indicações do campeão, que queria algo leve, confortável e que proporcionasse a máxima protecção.

Os primeiros protótipos em papel foram mostrados ao piloto, que os validou. Em seguida, a Nike decidiu passar à fase de fabrico. Todas as peças foram concebidas na Nike, no Oregon, mas o acabamento e a montagem foram confiados à TCX, em Itália, que possui toda a experiência necessária no domínio do fabrico de botas todo-o-terreno. Depois de Dungey ter testado minuciosamente o produto, ele deu a sua opinião, deu feedback e pediu várias alterações.

O piloto que estava a correr com a Suzuki nessa altura estava muito envolvido no projeto e, um ano e sete protótipos depois, conseguiu chegar-se ao produto final. Oito semanas após o início do Campeonato AMA Supercross 2010, os designers estavam a dar os retoques finais.

Nessa altura, este novo par de botas já não era segredo para ninguém, embora todo o projecto o fosse, o que ainda hoje é um mistério. À primeira vista, a sensação de leveza é real e surpreendente para uma bota que é suposto proteger contra os golpes mais violentos. Tal como as equipas oficiais que utilizam peças de titânio, magnésio e fibra de carbono para reduzir ao mínimo o peso dos motociclos, as botas Nike foram concebidas segundo o mesmo princípio.

Ausente do projecto no seu início, James Stewart pediu para fazer parte do mesmo por receio de ser prejudicado por um produto demasiado inovador que um adversário pudesse ter e ele não. James chegou um pouco mais tarde no design, mas a sua ajuda foi decisiva para chegar ao produto final.

As botas Nike Air Mx 6.0 nunca foi concebida para ser vendida em lojas. Em muitos desportos, a Nike tem o hábito de oferecer os melhores produtos para os melhores atletas e, na maior parte das vezes, não são acessíveis ao público. Foi precisamente isso que aconteceu com as famosas botas. Caso tivesse sido disponibilizadas, o preço de venda teria sido demasiado elevado, possivelmente até o mais caro do mundo, com um valor próximo ao de um BMW M3. Eram feitas à mão por uma dúzia de pessoas, cada par era único.

No final, o projecto acabou por ser gradualmente abandonado ao longo dos anos. No entanto, alguns exemplares permanecem na sede da Nike, no Oregon, nos EUA.

_

Foto: Jake Klingensmith



Veja mais em MOTORSPORTS.PT

Leia Também

close